20 fevereiro 2017

E a vida é...



...Aquela busca por descobrir seu lugar no mundo,
lidar consigo e administrar a ansiedade;
É a corrida para preencher os vazios e errar muito nessa procura;
 É questionar se realmente as respostas estão dentro de você;
E mesmo que você viva sem pensar muito, vai se encher de ruídos e só será ecos; não vai enxergar a verdadeira beleza.
E a vida é assim, uma estrada meio estreita, meio larga, com
saliências, uns desvios, umas curvas; todas as suas escolhas; contudo, se olhar para frente terá um horizonte e de repente esperança, se para os lados muitas paisagens e definitivamente consciência.
Mas lembre-se, não encontrar todas as respostas faz parte da
trajetória, afinal aqui não é definitivo. Depois.

06 fevereiro 2017

[Resenha ] O Último Adeus – Cynthia Hand

“Desculpa, mãe, mas eu estava muito vazio.” – Tyler

Sinopse.  O Último Adeus é narrado em primeira pessoa por Lex, uma garota de 18 anos que começa a escrever um diário a pedido do seu terapeuta, como forma de conseguir expressar seus sentimentos retraídos. Há apenas sete semanas, Tyler, seu irmão mais novo, cometeu suicídio, e ela não consegue mais se lembrar de como é se sentir feliz. O divórcio dos seus pais, as provas para entrar na universidade, os gastos com seu carro velho. Ter que lidar com a rotina mergulhada numa apatia profunda é um desafio diário que ela não tem como evitar. E no meio desse vazio, Lex e sua mãe começam a sentir a presença do irmão. Fantasma, loucura ou apenas a saudade falando alto? Eis uma das grandes questões desse livro apaixonante. O Último Adeus é sobre o que vem depois da morte, quando todo mundo parece estar seguindo adiante com sua própria vida, menos você. Lex busca uma forma de lidar com seus sentimentos e tem apenas nós, leitores, como amigos e confidentes.

Este livro vai estar aqui no meu coração guardadinho com carinho. E confesso que quero ler mais livros com essa temática. 

Lex é uma personagem cativante, a forma realista com que lida com seus sentimentos, o não sentimento, o caminho das descobertas de si mesma, é muito verdadeiro.

É um livro rico de sentimentos, situações complexas de nós como seres humanos. Eu, particularmente, gosto de ser tragada por histórias que me fazem pensar, neste livro vi reflexos de mim, me sinto feliz por isso. Me emociono só de lembrar.

A narrativa faz com que você se apaixone também por seu irmão Ty. Senti a dor, o horror, a angústia de só pensar em estar no lugar dela, de ser parte da vida do Ty. Não tem como não viver a estória. Às vezes, a única maneira de lidar é chorando, e eu fiz muito isso.

A capa do livro é linda, diagramação, cheirinho, ilustrações, nossa muito capricho, Darkside sempre arrasa. Uns três errinhos de edição, mas nada que comprometa. Ahh Esperem muitas dicas incríveis de livros e de músicas. TUDO TOP!

Esse foi meu primeiro contato com Cynthia Hand e gostaria de acompanhar Lex até onde eu pudesse, uma enorme pena não ter continuação, queria!

O irmão da autora se suicidou aos 17 anos, ela tinha 20, então sobre a dor, ela sabe do que está falando. No entanto, ela alerta que ela não é Lex e nem Ty era seu irmão. O enredo é totalmente fictício.

Leiam.