Páginas

14 novembro 2016

#Resenha A Garota Italiana – Lucinda Riley


É tão interessante como determinados livros me tocam, o que eles me fazem querer, mas, mais importante, o que eles me despertam. 

A Garota Italiana me fez pela primeira vez desejar ir para Itália, querer aprender italiano, eu nunnnca gostei do idioma, sinceramente, mas assim como o amor de Rosanna e Roberto no livro, não tem muito o que explicar, aconteceu.

O livro conta a estória de Rosanna Menici de 1966 a 1996. De Nápoles – Itália até Londres. Rosanna tem um dom, uma voz singular que desperta emoção e amores em todos que a ouvem. Um talento evidente que sela seu destino.

Mas o que ela canta não é mesmo? Ópera, sim!! Rosanna é um soprano. E cara, eu-me-apaixonei-por-Ópera!!!!!!!!!!!! (Drama Queen) Eu simplesmente fui encantada, ludibriada, enfim... Rosanna me fez ouvir Maria Callas (QUE MULHER), Franco Corelli (MEU DEUS), além dos tenores mais populares Pavarotti, Bocelli, Placido Domingo... ♥ fazer várias pesquisas sobre as origens; assistir a Ópera Madame Buttefly, Carmen, La Boheme e mais uma lista grande guardada, porque não descobri nem a metade; a ter meu compositor favorito, Puccini, e estilo favorito também, o Bel Canto. 

Um parêntese - enquanto eu procurava por Opera no youtube hehe descobri a miniatura da Rosanna, meu Deus, seria p e r f e i t a para o papel se virasse filme - porque o livro começa com ela aos 11 anos - então tudo a ver, o nome dela é Laura Bretan (13 anos) e está ou estava participando do America's Got Talent, olha a primeira audição da menina:

MARAVILHOSA

Nem só de Ópera o livro é feito, tem histórias lindas de amizade e amor, erros, muitos erros desses seres humanos, enganos e muitas revelações. 

Gostaria de chamar atenção aqui para o irmão de Rosanna, Luca, que a ama e incentiva, tanto a ela como sua outra irmã, extremamente linda, porém inconsequente, Carlotta. Ele tem um papel principal na vida da piccollina (como a chama). Ele assume o sonho de Rosanna como sendo o seu, e luta com ela para alcançá-lo, e é lindo. 

Voltando à Opera: é um universo imenso. O mais engraçado é que quando estou ouvindo e alguém aparece sempre perguntam de olhos arregalados me olhando estranho “o que é isso hein menina?”, resultado: só no fone de ouvido mesmo, mas ainda pior é eu tentando cantar (RISOS). 

Foi algo tão natural, nunca imaginei que pudesse me afeiçoar a esse tipo de arte. Ahhh pesquisei os teatros onde ocorrem as apresentações, Met de NYC, Opera House em Londres e outros. Se liga nesse teatro!!!!!! Depois dessa imagem foi bem mais emocionante imaginar Rosanna se apresentando e ficar louca pra ir à Londres – o que sempre fui.

Royal  Opera House - Covent Garden/London 

Não conhecia essa autora, e apesar de ter feito uma lista dos livros que quero ler dela, sinto um estalo sofrível de que não verei os mesmos personagens (drama).

Bom, quando o livro termina fica aquele doce amargo, que percorreu uma parte do enredo, então vem aquela vontade de ser a dona da história e mudar algumas coisas, mas olha, pensando bem, não, a vida é assim também... Nada é perfeito né, só Nutella.

P.SNão gosto de entrar muito em detalhes da história, já falei muito isso, nem leio a sinopse, que estraga muito a experiência. mas digo que vale muito a pena, uma bela história

Nenhum comentário:

Postar um comentário