22 setembro 2015

¬¬ Resenha ¬¬ Hannibal – Thomas Harris

Hannibal é a continuação do livro O Silêncio dos Inocentes, não li só assisti ao filme (ótimo) e em algumas partes eu queria muito ter lido porque Thomas Harris é genial.

Hannibal Lecter tem quatro livros dedicados a ele, e pelo que li é melhor ler nesta ordem: “Hannibal – A Origem do Mal”, depois “Dragão Vermelho”, na sequência “Silêncio dos Inocentes” e por último “Hannibal”.

Como se vê, comecei pelo último, de acordo com a indicação, e posso dizer que não atrapalhou, mas me deixou no vácuo e com várias questões, então sugiro a mesma ordem.

Bem, Hannibal é um thriller psicológico e romance policial, seu protagonista Hannibal Lecter é um psiquiatra serial killer que neste livro está foragido há sete anos, porém uma ocasião especial o traz de volta, com isso Clarice Starling, agente especial do FBI é designada para assumir o caso.

Então, surge uma teia de conflitos e relações perigosas e Mason, a única vítima sobrevivente do Dr. Lecter, que está disposto a cortá-lo em pedacinhos – literalmente – é quem nos dá a diversão, tanto para o mal quanto para o mal. Pois é!

Preciso dizer que os personagens são muito bem elaborados, linhas de pensamentos e suas personalidades. Fantástico! E como eles nos surpreendem não é Srta. Starling?!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Os diálogos, nem sei como dizer, estão lá para mostrar o quanto são eficientes.

Definir o perfil de Hannibal é complexo - Freud explica - mas não vou chamá-lo de louco porque simplesmente ele sabe muito bem o que faz. Eu diria que ele tem desvio de caráter e nenhum senso de humanidade, além de ser muito inteligente, articulado, o cara é fascinante, tirando sua tendência assassina.

Em alguns momentos eu lembrava de Don Corleone e sua proposta irrecusável. É isso que Hannibal Lecter faz neste livro, na maioria das vezes, ele sentencia as pessoas, porque afinal, elas são culpadas – principalmente as que estão tentando capturá-lo, para ser mais exata.

Hannibal não ama ninguém, ele nutre uma afeição ligada a algum ponto de julgamento, pois ele tem vários índices críticos. Ele estuda o perfil, usa retórica, utiliza das armas psíquicas para dissuadir, persuadir quem quer que seja, difícil não cair por seus argumentos.

Eu escreveria bem mais a respeito desse ser, mas preciso realmente ler os outros livros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário