Páginas

03 julho 2015

Ansiedade e outras drogas...

Eu posso não estar ansiosa no momento, mas antes existiu todo um enredo emocional catastrófico para o acontecimento, seja em uma entrevista, primeiro encontro, enfim... Primeiras vezes.

 Quem me conhece sabe, e quem acaba de me conhecer percebe.

Não importa a minha cabeça sã e inteligente, minhas emoções são mais fortes, apesar de não demonstrar fisicamente, mas se eu começar a falar, sai da frente porque é drama.

Ansiedade leva à impulsividade e à precipitação.
Às vezes, eu supero.

Pode ser uma palavra dita e/ou outra não dita, quase sempre uma atitude tomada e/ou outra não. No entanto tenha certeza, depois que passa o momento, o roteiro que elaboro mentalmente do que poderia ter feito é bem melhor ¬¬

 Não confunda aquela ansiedade de resultado de concurso, vestibular etc., eu posso lidar, porque isso depende de mim... Masssss issoooo....

                    WhatsApp - Inferno, porque né.... Não respondeu? Morreu ou o que? 

Ansiedade não é insegurança também, é que o novo me deixa fora do ar um pouco, depois, quando o momento acaba, eu constrangida ou não, percebo o que aconteceu de verdade. 


Minhas amigas me aguentam, tenho dó delas, porque pelo whats descrevo um apocalipse. Além do que,  sou ansiosa e hiperativa, essa combinação me deixa atarantada também.
O que me dá paz é ler os livros das pessoas que estão passando pela mesma situação, geralmente do coração, porque nos outros aspectos sou mais prática.

Para você lidar com a minha ansiedade:

Não me deixe sem resposta – sabe uma pessoa que tem TOC? Pronto.
Sempre fale a verdade – não importa qual seja.

Bem, mesmo assim vivo, sei deixar os momentos para a minha ansiedade se manifestar, o nervosismo às vezes não, mas controlar para não pirar eu sei tá bom?!


 Um xêro e até a próxima

Nenhum comentário:

Postar um comentário