23 julho 2015

Linksssss da Semana #mês

Cá estou com a minha seleção maravilhosa de links people!!! Êeeeeee...
Li muita coisa legal e quero compartilhar, de repente cês viram também né... Enfim, olha aí, tá uma salada:

Este texto “Queimem as marcas que usam memes!!!!” super interessante pra quem é social media, ou apenas curte este universo como eu. Tem também o discurso feminista da escritora Chimamanda Ngozi, não deixe de ler!!!

O lançamento do e-book sobre HTML e CSS MARAVILHOSO do Chief of Design, gente, apeguei e amarei para sempre!! Nesta salada maluca ainda tem o texto tipo minha vida da Jana Rosa, tipo muito, muito...  falando em minha vida ainda... Aqui no Psicoseda Nina está a fase que estou passando no momento  e ela me descreveu aiiii



“Sobre quebrar a perna, largar a faculdade e ver meu pai chorar: a jornada de um jovem empreendedor” Esta história real é do Henrique, ele conta neste post sua jornada até viver do seu blog atual, pra quem quer saber mais e se inspirar clica aqui.

Estou completamente apaixonada por este livro que Mel postou!! Apenas morta. Mas, mais ainda pelo post da Camila: “O que uma jovem Milleniun pensa sobre revolução”Inspirador ao extremo, assim como ela!



“Conselhos aos desesperados por um par, continuem sozinhos”... Não que estejamos né amigos, mas vale a leitura e a Vana (Casal Sem Vergonha) sabe do que escreve clap your hands, aliás, site maravilhoso!!

Agora uma pausa para suspiros... Pronto. Que texto sensível, lindo, cheio de ternura, tô boba, Fred mais uma vez me surpreende e escreve este texto comemorando as bodas de algodão do seu casamento, leiam. 



17 julho 2015

5 vezes que a vida me fez rockeira

Estava numa faze tão light da minha vida, no colégio, e eis que uma guria cheia das rebeldia surge com sua guitarra rabo de peixe e lápis carregado nos olhos... Era Avril Lavigne e sua Complicated. Me vi rockeira pela primeira vez na vida.  E agradeço até hoje.


Uma vez na faculdade, na casa de uma tia, de boa ouvindo Britney Spears abro uma seleção do meu irmão no PC e pah toca Sweet Child O’ Mine e cara... Nem sei explicar só sentir...


Não foi a primeira vez e nem será a última que este pobre coração sofre por causa de um crush... oh crush... why? A música? Black do Pearl Jam foi a dose, realmente.


E foi assistindo Shrek que o amor pelo Led Zeppelin reacende das cinzas, pois é migos, preciso de umas sacudidas assim, às vezes.


O rock é revolução, é o ritmo de gritar, de protesto. Nesse caos, mundo loco essa música me fez chutar os balde as bunda e o que tivesse na frente... Todo mundo conhece neammm

♥ Este post faz parte da blogagem coletiva promovida pelo Rotaroots 
Um grupo que valoriza e incentiva a blogosfera old school. 
Para saber mais e participar clica aqui

03 julho 2015

Ansiedade e outras drogas...

Eu posso não estar ansiosa no momento, mas antes existiu todo um enredo emocional catastrófico para o acontecimento, seja em uma entrevista, primeiro encontro, enfim... Primeiras vezes.

 Quem me conhece sabe, e quem acaba de me conhecer percebe.

Não importa a minha cabeça sã e inteligente, minhas emoções são mais fortes, apesar de não demonstrar fisicamente, mas se eu começar a falar, sai da frente porque é drama.

Ansiedade leva à impulsividade e à precipitação.
Às vezes, eu supero.

Pode ser uma palavra dita e/ou outra não dita, quase sempre uma atitude tomada e/ou outra não. No entanto tenha certeza, depois que passa o momento, o roteiro que elaboro mentalmente do que poderia ter feito é bem melhor ¬¬

 Não confunda aquela ansiedade de resultado de concurso, vestibular etc., eu posso lidar, porque isso depende de mim... Masssss issoooo....

                    WhatsApp - Inferno, porque né.... Não respondeu? Morreu ou o que? 

Ansiedade não é insegurança também, é que o novo me deixa fora do ar um pouco, depois, quando o momento acaba, eu constrangida ou não, percebo o que aconteceu de verdade. 


Minhas amigas me aguentam, tenho dó delas, porque pelo whats descrevo um apocalipse. Além do que,  sou ansiosa e hiperativa, essa combinação me deixa atarantada também.
O que me dá paz é ler os livros das pessoas que estão passando pela mesma situação, geralmente do coração, porque nos outros aspectos sou mais prática.

Para você lidar com a minha ansiedade:

Não me deixe sem resposta – sabe uma pessoa que tem TOC? Pronto.
Sempre fale a verdade – não importa qual seja.

Bem, mesmo assim vivo, sei deixar os momentos para a minha ansiedade se manifestar, o nervosismo às vezes não, mas controlar para não pirar eu sei tá bom?!


 Um xêro e até a próxima