Páginas

27 abril 2015

Por meio desta, eu confesso...

Pode ser que alguém me ache insensível, que não percebo as coisas ou que seja mal-agradecida. O fato é que, eu sinto minhas dores e levo apenas comigo, porque de toda maneira eu sei que quem pode resolvê-las, sou eu.



Eu percebo tudo ao meu redor, eu tenho uma intuição infalível, quando não a uso me ferro legalzinho. Mas eu vejo tudo e fico com as resoluções para mim, quem sabe um dia eu não faça algo sobre. Do momento, acho que nada pode interferir no curso da história da minha vida se eu ficar calada.



Às vezes, o silêncio é torturante e não adianta, eu sei que é hora de falar e eu falo ou faço. Eu apenas respeito meu momento – mais uma vez. Nada como o momento certo para ter a atitude, detesto me precipitar e não ser prudente. Posso até ignorar mil vezes certas coisas que não tem como eu modificar, eu apenas espero e caio fora.

Se não agradeço ou agradeci é pelo simples fato de que me saio melhor frente às críticas, fico mais forte, do que à favores e elogios, onde me sinto exposta e tenho que me expressar; não que eu ache isso fraqueza, é apenas uma maneira de dizer que eu me importo e eu não faço às vezes por uma simples razão: TIMIDEZ.


 Bem, no mais é só isso pessoal, escrever é meu treino.

Nenhum comentário:

Postar um comentário