Bonequinha de Luxo

Aproveitei que é a semana do meu aniversário para me presentear de novo, comprei o DVD do filme, o primeiro de uma coleção de clássicos que quero começar a colecionar, apenas porque quero.


A estória:
Holly mora em Nova York, não tem emprego, ama a Tiffany’s (eu também ué) mora em um prédio que tem um vizinho louco (às vezes ele é engraçado, outras vezes apenas patético) e sua vida/renda consiste em ser acompanhante, mas claro seu objetivo de vida é se casar com um milionário. 
Ela tem a persuasão de fazer com que os homens fiquem loucos por ela, quer dizer todos, ela é o tipo de pessoa que faz amizade facilmente, gera empatia e que faz as pessoas se sentirem confortáveis ao seu lado. Então a partir dos seus relacionamentos é que a estória se desenrola e o romance também.



Este filme me surpreendeu de várias formas, confesso que já sabia o final, porém não sabia como iria ser desenvolvido, claro. 
Senti que era um pouco clichê, porque romance peca por isso às vezes, mas pensei nisso e lembrei do fato dele ser filme antigo e ter assistido vários genéricos dele. Mas de maneira geral ele é bem autêntico, principalmente pelas condições econômicas da personagem, pela total fata de glamour e fantasia da vida dela, apesar de querer sempre isso, apenas a realidade com seus desafios para uma garota em uma cidade grande. Sem falar na sua rede de contatos, ô gente vid4 lok4.


Ela tem aquele It sabe, aquilo a mais, que muita gente chama de sorte, outros de bênção, outros de bumbum virado pra lua, outros borogodô. Você sabe que ela não está onde quer, mas um dia com certeza ela chegará ao seu objetivo, porque ela não se considera vítima da situação, ela vive, às vezes foge, mas não por muito tempo, afinal ela é inteligente e sabe que sua felicidade só depende dela.



A Audrey, meu Deus, Audrey que figura, que criatura mais charmosa, encantadora e doce. As roupas, clássicas óbvio. Cortes que valorizam muito bem seu biótipo. Elegante, mesmo no vermelho, como ela diz.
Não tinha assistido a nenhum filme dela, só a conhecia pelas fotos, por ser ícone de estilo, o que deu para entender muito bem após o filme e ao material extra/bônus, do DVD.


Muitas vezes durante o filme lembrei-me de Olivia Palermo e Natalie Portman, todas têm essa aura de princesa sabe, de delicadeza, de encanto.

Então, vou procurar o livro, afinal Truman Capote né mores!

Comentários

  1. Eu sempre tive curiosidade em assistir esse filme. Já vi muitos comentários sobre ele. Agora, com seu texto, fiquei ainda mais curiosa.. Acho que vou assistir e depois te digo o que achei =]
    Abraços Mika,
    Pensamentos Viajantes

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

E a vida é...

Favoritos do Mês/Fevereiro

Não foi o que eu disse!