Não vou de táxi, nunca fui

Todo dia vou ao escritório de ônibus, a diferença é que às vezes eu vou sentada, aí pensei em escrever sobre isso e pensei também, por que nunca escrevi sobre isso?

As situações.

Como sempre, meu busão está lotado, eu deveria esperar com minha ingenuidade que às 06h40min as pessoas saíssem de casa com banho tomado e com os dentes escovados Não... O que eu esperava também era que a pessoa ficasse de boca fechada e tal, mas ela faz questão de bocejar e nem se incomoda em tapar a boca, isso é tóxico, cara, tóxico.

Sem falar naqueles piores que soltam pum. Aí a galera não fica calada porque é revoltante, às vezes está chovendo e todas as janelas estão fechadas, nem imagine...

Os motoristas - em sua maioria, são uns cavalos manga larga marchador, ô bando bruto... Assim que a galera entra no ônibus eles já estão em 60 Km, aí né, faço  as vezes de pilastra, alguém me agarra, sério mesmo, me agarra mesmo e tenho que fazer força de dois.
Pisões, bolsadas, cotoveladas, aqueles estudantes que fazem questão de passar com a mochila enorme nas costas e sai levando o mundo. Aquelas pessoas que espirram na sua cara, ou aquelas que começam a conversar, eu já vou com o fone nos ouvidos para evitar essas conversas, mas não adianta.

E quando uma cadeira desocupa? Olhar assassino de propriedade ou então coloca o braço na sua frente para impedir a passagem ou então joga a bolsa na cadeira para demarcar o território. Nós mulheres sofremos não é mesmo? É!

Tirando os homens aproveitadores sem noção que só resolvemos com uma cotovelada, uma esquiva para não brigar, ou melhor, sair do lugar que se está sendo bulinada dando aquele olhar serial killer... Têm aqueles que não querem te incomodar e você sabe, masssssss ao passar por você para não encostar seu produto na sua bunda eles ficam na ponta dos pés e acabam esfregando nas suas costas, aí não adianta muito.

Falando em costas, tem também as pessoas que passam cheirando seu cabelo, puxando, alisando suas costas. Não são situações que acontecem todos os dias, mas já aconteceram.

Quando estou sentada o incomodo geralmente é com música alta no celular do coleguinha ao lado, ou um idiota que fica mexendo no meu cabelo por trás, ou alguém cantando, conversando.
Isso tudo de tão cotidiano já se tornou normal. Sempre vai existir os mal-educados, em todo lugar, então nem me estresso ou já vou pensando no martírio, coloco minhas músicas favoritas e sigo meu rumo.







Comentários

  1. Sério você é ilária! Chorei de rir!
    Sei como é essa situação... Mas nada que um fone, e uma música boa, não resolvam!
    Ótimo post, parabéns! Alias lindo blog!
    Beijos

    http://timidaassumida.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

E a vida é...

Favoritos do Mês/Fevereiro

Não foi o que eu disse!