Páginas

27 outubro 2014

A distância palhaçona...

Essa Bitch, proporciona um furacão de sentimentos, todos confusos. Dependendo do dia eu tenho certeza do que sinto e o que não quero sentir falta. 
Numa segunda eu sinto que pensar em você é estar carente. Não acho mais a saudade normal, penso que é porque ainda não tenho outra pessoa.
 ...

Qualquer hora, depois de falar com você, com a amizade que combinamos manter, eu entendo que é só o momento, na verdade.
No outro dia, na perspectiva de encontrar o cara que conheci há pouco e que despertou a bestona que estava adormecida, eu nem lembro mais como era nosso beijo, claro, até voltar para casa e ver uma mensagem sua no whats.

Então eu penso em Guiomar (personagem do romance de Machado de Assis – A Mão e a Luva) e suas reflexões, seu momento de introspecção tentando entender seus mais profundos sentimentos e usando a  razão, e assim tomando a melhor decisão.

O que eu concluo?
Nada.


Nenhum comentário:

Postar um comentário