Influência Musical

A primeira vez que vi Britney Spears foi tipo “quero ser ela”, típico... Linda, loira, corpão, mas depois ela me despertou a paixão pela dança, nem me importava tanto com as letras e a beleza dela, mas queria fazer aquela coreô de “... Baby One More Time” e a cada disco eu aprendia mucho mais... Que mico, mas eu perdi 3 kg nessa brincadeira!
Então que muitas Boy Bands depois e ainda no ensino médio... Surge Avril Lavigne com sua guitarra rabo de peixe, preta e branca, lápis no olho e visual machinho, meu primeiro exemplo de rebeldia ok, ok... Então que investi em um pôster dela no meu caderno, comprei lápis para os olhos e, claro, pedi a meu irmão que me ensinasse no violão “I’m With You”, mas nunca aprendi direito, só as notas separadamente. 
Eis que na faculdade um pouco saturada das mesmas músicas e estilos... Numa tarde iluminada no computador, com a playlist do meu irmão ligada, ouço uma música que há muito tempo tinha ouvido, mas não sabia quem cantava. Era “Sweet Child O' Mine” me apaixonei pelo Guns N’ Roses, desse momento até um Google, foi vício.
Depois daquelas músicas cheias de atitude e Apetite por Destruição, que devo dizer nem conseguia assistir ao clipe de Welcome To The Jungle, era demais pra mim, sem falar em Rocket Queen que me deixava constrangida, quem ouviu sabe o por quê! Fui conhecer as influências da banda e só foi coisa boa surgindo: Led Zeppelin, Iron, Metallica, Beatles, Stones, Aerosmith, Clash, Dylan, Bowie, Ramones, Chuck Berry, Little Richard, Jerry Lee Lewis, Velvet Underground, The Smiths... Só banda boa mesmo. 
Entendi o que é arte baby e fiquei exigente!!!

Então ressurgiu um desejo enorme de escrever, que começou com poesias no meu primeiro diário e minha paixão por piano após ver “November Rain”. 

Depois surgem em minha vida Amy Winehouse e sua “Rehab” o que foi aquilo?
Depois da Amy >>> Joss Stone, Duffy, Billie Holiday, Aretha Franklin, Adele, Lana Del Rey... E MPB, sim depois disso tudo veio a música brasileira >> Céu, Mariana Aydar, Tiê, Roberta Sá, Vanessa da Mata... E por aí vai.
Tá eu poderia falar de Vivaldi, Mozart, Villa Lobos, Bossa Nova, alguns exemplares que eu tive a sorte clássica de ouvir... E até Roberto Carlos que eu enquadrei aqui por que eles servem a mim para um único propósito: dormir. (permitam-me a arrogância)
O caso é que depois dessas descobertas e afloramento culturais, tava um tempo sem ter tido nenhuma surpresa boa ou influência positiva musicalmente falando, só no revival mesmo até ouvir Lorde, Arcade Fire, Gabriele Aplin, Birdy, One Republic.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

E a vida é...

Favoritos do Mês/Fevereiro

Não foi o que eu disse!